sexta-feira, 3 de maio de 2013

dança.

Não gosto de dançar. Não tenho jeito, nunca tive. Abano-me tipo parva, a tentar coordenar o som com os gestos. Penso sempre que se me filmassem morria de vergonha. Mas quando me agarras, quando me puxas com a força do teu sorriso, quando o teu braço esticado apoia o meu enquanto rodopio, quando o teu ritmo dita os passos, quando vou e volto num movimento rápido e romântico, a música parece fazer as pazes com o meu corpo e deixar-me ir é o principio de uma dança que parece feita para mim.

1 comentário:

pastora disse...

como eu te percebo!!!