quarta-feira, 30 de junho de 2010

as avestruzes de Portugal.


A selecção chegou ontem ao fim do caminho. E fê-lo de maneira patética.

Não se esforçaram, não comeram a relva, não levaram tudo atrás. Se antes do golo de Espanha já estava mal, depois então foi o desastre. Jogaram como se tivessem a ganhar, perderam as forças, confundiram-se todos.
O Eduardo segurou o forte até quando conseguiu e fê-lo muito bem, sempre, a mostrar, ele sozinho, à Espanha, que não ia ser fácil pôr a bola na baliza. O único que se destacou foi Fábio Coentrão, numa equipa que mereceu perder e mereceu levar a tareia que levou, tareia das antigas, não em golos, mas em savoir faire, em dar tudo por tudo, uma tareia de orgulho.
O Carlos Queirós, de quem não gosto desde o inicio fez as escolhas erradas, fez substituições erradas e não teve coragem de tirar o Cristiano Ronaldo, que merecia ter ficado no banco a assistir a grande parte do jogo e a tentar perceber porque é que não consegue jogar assim. O que este menino estrela fez o jogo todo foi mostrar como não sabe jogar em equipe, como se acha superior a todos os outros colegas ao não passar bolas e ao fazer passes ridículos de quem só está ali para se mostrar e, claro, passear.
E, como se não bastasse, no fim do jogo ainda se recusou a dar explicações e remeteu-as para o seleccionador. Ora o menino tem de aprender umas coisinhas: primeiro, é capitão, vá-se lá saber porquê, portanto tem de dar explicações , tem que dar a cara e tem que agir conforme o "cargo" que tem. Segundo, a humildade fica sempre muito bem, principalmente a quem acabou de ter uma participação vergonhosa no mundial e devia era baixar a cabeça e responsabilizar-se.
Porque sim, nenhum jogador tem de levar a selecção aos ombros, mas Ronaldo não esteve nem perto de o fazer.
Quem tem de se responsabilizar, de facto, não é ele, é o Carlos Queirós e ainda não o fez, a provar que falta muita humildade e noção da realidade nesta equipa.

Resta-nos o Eduardo, o mundial foi dele, e o fábio coentrão.

De resto, por amor de deus, tenham vergonha na cara, ou como às vezes se diz, enfiem a cabeça na areia, como as avestruzes.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Os amigos e os dedos da mão.


Tenho amigas para as compras.
Tenho amigos para os copos.
Tenho amigos que não me largam quando estou mal e que ficam orgulhosos quando consigo seja o que for.
Tenho amigos que falam, falam, falam e nunca mais se calam.
Tenho amigos de longa data.
E outros não tão antigos.
Tenho amigos com quem tenho conversas sérias.
Tenho amigos com quem só digo disparates.
Tenho amigos com quem posso ficar calada uma hora, que não faz mal.
Tenho amigos que adoram viajar.
E outros que sonham ter uma família mal possam.
Tenho amigos que choram, literalmente, a rir.
Tenho amigos arrogantes.
Tenho amigos que eram capazes de comer o dia inteiro e ainda estar com fome.
Tenho amigos invejosos.
Tenho amigos de ocasião.
E tenho amigos por arrasto.


E tenho amigos daqueles que costumam dizer que se contam com os dedos de uma mão.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Soul Mate



"People think a soul mate is your perfect fit, and that's what everyone wants. But a true soul mate is a mirror, the person who shows you everything that's holding you back, the person who brings you to your own attention so you can change your life. A true soul mate is probably the most important person you'll ever meet , because they tear down your walls and smack you awake. But to leave with a soul mate forever? Nah. Too painful. Soul mates, they come into your life just to reveal another layer of yourself to you, and then they leave."


in Eat Pray and Love from Elizabeth Gilbert

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Do you like my boyfriend?


Se não gostarmos do namorado de uma amiga e ela nos perguntar, devemos ser sinceras ou usar frases como "é muito interessante" , "ve-se que estão apaixonados" e etc?

Esta pergunta surge-me muitas vezes.

Instruções


Era muito mais fácil se as pessoas viessem com instruções. Perdia-se muito menos tempo e certamente que se poupava muita paciência. Ou então que se apresentassem sempre com nome e defeito "eu sou o Pedro e sou muito teimoso".
Sim, era realmente mais fácil porque já sabíamos com o que contar e não ficaríamos irritados ou um bocadinho "perdidos" quando descobrissemos que a amiga X come com a boca aberta ou o amigo Y é extremamente obcessivo.

Ah, e ajudava-nos logo no dia a dia ou mesmo em férias ou períodos de contacto prolongado. Era organização ao milimetro, se o X é ciumento, vou por a Y a dormir com a Z, e se o C se atrasa sempre, vai ser sempre o primeiro a acordar, e se a A é a mais desarrumada se calhar o melhor é dar-lhe um armário onde ela possa despejar tudo, e etc etc, por aí fora.

A vida podia ser tão mais fácil se toda a gente nascesse com instruções.

França, a decapitada.

Adoro a França ter sido eliminada do mundial. Adoro porque os acho uns presunçosos, com a mania que têm o "rei na barriga".

E quem me conhece sabe que adoro uma boa polémica, bate-boca ou demonstrações agressivas de desagrado.
Por isso mesmo este anúncio que a divisão francesa da Sony fez para mostrar a desilusão com a equipa maravilhou-me. Saiu na ultima edição do jornal Libération.

Enjoy it!

terça-feira, 22 de junho de 2010

Os efeitos do Ronaldo

"Vencer 7-0 no campeonato do mundo é um efeito histórico"

Uau. Efeito? A sério? mesmo? mas é da bola que fez efeitos? ou foi uma metáfora muito mal feita e que nem é uma metáfora?
Metáfora não pode ser, o Cristiano não sabe o que é.

Ah, já sei. Será que ele queria dizer feito? Só pode ser isso.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Fui a Londres

tomar um café e já voltei.

Amanhã o blog volta, talvez a falar inglês.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Shame on me.


É uma vergonha, mas não sou dadora. De nada. Nem tão pouco sei como essa coisa se processa e, pior, nunca quis saber. E, ainda pior, só hoje perdi mais de dois minutos a pensar nisso e, pior que pior, teve que acontecer alguma coisa a uma pessoa que conheço.

Para quem, como eu, está à espera que aconteça alguma coisa, vão ao pulido valente e resolvam a questão.
Até porque, verdade, pouca gente lê este blog, e dessa pouca gente, nem todos são meus amigos, o que torna a coisa ainda pior que pior que pior, estou a pedir ajuda a estranhos. Mais baixo não desço.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

ai meu amor.



- Nuno, vou-te por de castigo se não parares de bater com os talheres na mesa.
- Oh meu amor meu amor!

Ai ai. E eu a tentar ser séria com um miúdo de 6 anos.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

estrada fora



Aprende a dizer não quando é preciso e certifica-te de que o manténs, apesar do que disserem. Esforça-te para conseguires o que queres, seja o que for, mesmo que a maioria das pessoas ache que és louco. Faz uma viagem inesquecível pelo menos uma vez na vida. Não te afastes dos teus valores e agarra-te a eles quando parecer que estás descontrolado. Mantém a educação, mesmo em situações onde dizer asneiras parece o caminho mais fácil. Diz sempre às pessoas que gostas delas (se gostares realmente) mesmo que pareça inadequado ou piroso, nunca se sabe o que pode acontecer e quando. Aprende com os mais velhos. Faz pelo menos uma coisa de que te orgulhes todos os dias. Enlouquece de vez em quando, apaixona-te à primeira vista, comete loucuras uma vez ou outra. Guarda cada momento importante, seja bom ou mau. Não critiques sem ter a certeza de que tudo em ti é perfeito e lembra-te que isso nunca acontece. Arrisca de vez em quando, os grandes feitos são atingidos pelos mais audazes. Ri-te quando tiveres vontade e chora se te der vontade , estejas onde estiveres. Acredita pelo menos uma vez na vida que é para sempre. Tem a coragem de dizer "não sei" quando não sabes e "desculpa" quando estás arrependido. Mantém amizades antigas, significa que consegues fazer com que algo dure, apesar das mudanças de vida e rotina. Sê observador. Atira-te de um avião ou faz bungee jumping quando precisares de libertar o stress. Apaixona-te e desapaixona-te e apaixona-te outra vez e tem desgostos e recupera e tem desgostos outra vez. Recomeça quando for preciso e sempre de uma maneira diferente.

Mas faças o que fizeres, certifica-te de que chegas onde queres, atinges aquilo a que te propões e dás valor ao que conseguiste.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Aquilo que têm de saber sobre mim.



Nunca vou deixar de ter mau feitio.

domingo, 6 de junho de 2010

O meu pópó é mais bonito do que o teu.



O que se passa com os homens e os carros?

Ele é os riscos que apareceram do nada, os bancos que estão sujos, as toalhas de praia que mais valia irem penduradas na janela para não sujar o chão, o tablier que tem que estar sempre impecável, a comida que não entra no carro, principalmente se forem bolachas. E um carro com tudo forrado a plástico, não?

Já não há paciência.

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Igualzinhos.



Contra a vontade de grande parte dos meus amigos e , possivelmente, do meu namorado, é assim que os meus filhos vão andar: todos vestidos de igual, as meninas de vestido, os meninos de calções, mas sempre sempre igualzinhos. Ah, e claro, as meninas vão ter sempre um laço na cabeça.

Maravilhoso.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Avó minha só não canta.

A minha avó sabe enviar mensagens de telemóvel. E emails. E consegue passar fotografias da máquina para o computador e dividi-las por pastas. E até já falou comigo no skype.

Esta senhora podia ser a minha avó, soubesse ela cantar.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Chantilly.



Outro dia um cliente, depois de ter estado uma hora a falar comigo, contou-me que andava a encontrar-se com uma mulher casada e que a ex-namorada gostava que ele lhe pusesse chantilly no corpo.

A isto eu chamo: too much information.

(mas, claro, fiz a cara mais normal do mundo, como se me confessassem coisas destas a toda a hora)

terça-feira, 1 de junho de 2010

Dia da criançada.

Já é dia da criança. Adoro este dia, não serve para nada mas são tão engraçadas, as crianças. Estão na idade em que querem ser bailarinas, princesas e jogadores de futebol. Mas estão também na idade em que podem ser tudo o que quiserem.

Este anuncio já é de 2008 mas vale a pena rever. Gosto especialmente do fim, amoroso.





E feliz dia da criança para todos.