domingo, 28 de fevereiro de 2010

Mujer joven y con buena presencia se oferece para:






Yolanda Dominguez é a responsável por esta acção, assim como tantas outras do mesmo estilo. A critica à sociedade é uma constante e é feita com uma abordagem inovadora e "deliciosa". 

Mudar o mundo através da arte, é ao que esta artista se propõe. Com provocação. Faz mais efeito, ao que parece. E é muito mais divertido. 

A noticia aqui.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

From Lisbon with Chocolate




Quem me conhece, sabe que adoro chocolate. Que não consigo resistir e que me sabe bem seja quando for. Que como mesmo que depois me sinta culpada. 

Quem me conhece ainda melhor sabe que fico louca com embalagens que me "obriguem" a comprá-lo. 

Para quem partilha desta mania, mais informações aqui.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Snow house



Agora que o que me apetecia era uma semana a fazer snowboard, aqui fica  o abrigo que gostaria de encontrar para os intervalos. 

Mais pormenores aqui. 

Os "escritores"


Isto prova que toda a gente escreve, seja quem for, em todo o lado. 
Facilmente podia ser em Portugal. 

Esta boneca é a minha cara.


Dar uma boneca é engraçado e também o mais fácil de escolher. Para as meninas mais infantis, escolhe-se uma com ar de fada, para aquelas mais despachadas, talvez uma boneca com ar de crescida, já com a mala no braço e vestida para uma festa,  e para as que partem tudo onde mexem, uma elástica, que mesmo com muita força custa a ficar despedaçada. 

Para o sucesso ser garantido na entrega dos presentes, o ideal é que a boneca seja a cara da criança. Literalmente. Basta tirar uma fotografia, seguindo algumas indicações, enviar para www.sou-eu.com e esperar de 8 a 10 dias. O resultado é um boneco, de 25cm a 30cm, com a cara e corpo da criança pretendida. 
A sua filha vai poder brincar com ela própria e vai poder levar os amigos para todo o lado. Literalmente. 

A ideia, para crianças, partiu de uma criança. Meio caminho andado para o sucesso.  

Mais informações aqui.




quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Be different.





Na capital da república da Macedónia há coisas fantásticas. Quer dizer, pelo menos uma há. 

A partir de agora, com uma mão agarramos o papel higiénico e com a outra dizemos adeus a quem passa.  
O espelho de fora não deixa ninguém ver para dentro mas por dentro fica a impressão de que está toda a gente a olhar para nós. 

Provavelmente não é muito frequentada mas vale pela ideia original. 

Smart.




Parece que agora estacionar em Lisboa já não é uma dor de cabeça tão grande (se não contarmos com o tempo para arranjar lugar). Por 32 euros e um cartão recarregável, podemos ter um parquimetro individual intitulado de "SmartPark". Smart é, realmente, principalmente porque , acreditando na quantidade de pré reservas que foram feitas, está a ter alguma aceitação e, se calhar, daqui a um ano ou dois, já nem são precisos os tradicionais parquimetros (isto se sobreviver à exposição ao sol no verão, algo que supostamente já foi testado). 

Já não temos que ter trocos no bolso ou passar por aquelas situações de entrar nos cafés "pode-me só trocar esta nota ali para o parquímetro?" e nem sequer corremos o risco de pagar mais do que o tempo que ficamos estacionados. Isto porque o nosso smartpark começa a contar quando inserimos o cartão e acaba de contar mal chegamos ao carro e "puxamos" do cartão novamente. 
O pior é que o máximo de horas permitido é 4 horas (ao fim das quais o smartpark se desliga automaticamente), o que para as pessoas que estão mais tempo do que esse não evita as tradicionais saídas "ah vou só lá a baixo por mais dinheiro no parquimetro" (com a diferença que agora será cartao). 

Parece-me bem e a EMEL também deve achar. 
Mas, agora é ter cuidado, e não se esquecer de assinalar quando chega ao carro com o dito cartão. Na tentativa de poupar tempo, dinheiro e paciência, acaba por pagar as 4 horas, até ao nosso smart se desligar. 

A noticia toda aqui. 

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Lisboa Restaurant Week





Começa hoje e termina a 6 de Março a oportunidade de surpreender quem mais gosta com o extra de ficar muito bem visto. Por 20€ faça uma surpresa e marque um dos restaurantes melhores de Lisboa. Para as companhias mais difíceis, pode ainda dizer que um euro da refeição vai para as associações Viver a Ciência e Cais e vai ver que ainda ganha uns pontos. 
As bebidas não estão incluídas mas surpreender por surpreender mais vale que seja à grande, afinal em todos os dias do resto do ano pagaria muito mais. 

A noticia toda aqui. 


Senhoras donas, por favor!


Em 2008, Alice Vieira escreveu isto. Só agora li e não ia colocar aqui, até que me disseram: não é que não seja actual. Verdade. 
Ao que parece, alguns valores e educação estão agora "fora de moda". Verdade. 
Por favor, aprendam. 


terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Bom apetite




A primeira vez que lá fui foi, penso eu, em 2007 e nunca deixei de lá ir. É daqueles restaurantes a que apetece voltar por, depois de uns tempos, já ser tão familiar. As mesas são corridas, a fazer lembrar uma cantina, o ambiente é descontraído e, quando está cheio, as vozes sobrepõem-se e os risos confudem-se. Mas isso até ajuda a fazer do Nood um sítio tão especial. 

Como extra, tem o pessoal, extremamente prestável e sempre disponível e o lema seguido à risca de querer que todos saiam com um sorriso e que se traduz em pequenos gestos, como a troca do prato, caso não gostemos, como me aconteceu da primeira vez que lá fui. 

Localização: Chiado (Largo Rafael Bordalo Pinheiro)
Gastronomia: Oriental

Nota: À sexta e sábado está, normalmente, cheio e com fila de espera. 



Remédio Santo


Parece-me bem começar assim. É a minha cara. Quer dizer, nos dias bons. Dizem que agora faz bem rir, às gargalhadas, só com um sorriso, rir por dentro para não incomodar. O que importa é andar bem disposto. Se todos os remédios fossem tão fáceis de "engolir" , não andávamos em guerras com as crianças, não tínhamos que dizer que o xarope sabe a morango e nunca teríamos que beber uns quantos copos de água para disfarçar o sabor. 
Pois então, aproveitemos.