quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A neve e as cadeiras

Lembrem-se disto quando gozarem comigo por eu adorar neve, ski, snowboard e afins mas morrer de medo dos meios mecânicos.

Aqui está a prova de que é possível.


Acidente com teleférico provoca oito feridos

Um acidente num teleférico numa estância de esqui no estado do Maine, nos EUA, provocou oito feridos. Um cabo soltou-se, fazendo cair cinco cadeiras de uma altura de 15 metros e provocando ferimentos em oito pessoas. Entre os feridos contam-se três crianças.

As autoridades encontram-se a investigar as causas do incidente, podendo este ter sido causado por um problema mecânico ou pelo vento forte que se fazia sentir na altura.

Cerca de uma centena de pessoas que seguiam no teleférico tiveram de ser resgatadas.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

se este blog falasse diria


que as férias vieram para ficar.

Londres e o 3ºmundo

Sou das que digo mal de Lisboa por tudo e por nada. Não sou nada nacionalista, nem de perto nem de longe.

Mas a neve veio e fez de Londres um país de terceiro mundo. Os aeroportos pararam, fecharam e guardaram os aviões congelados. Os comboios não funcionaram. As estradas ficaram cortadas. Os autocarros andaram com uma hora de atraso para todo o lado. E os senhores taxistas compraram imensos presentes de natal porque cobraram o dobro em cada viagem. Então dei a mão à palmatória, sim senhor que Portugal é um país muito evoluído.

Mas depois cheguei a Portugal, a minha mala não veio e tive que ficar na fila com mais 50 pessoas com uma pessoa só a atender.

E pronto, o meu nacionalismo voltou à estaca zero.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

IF by Rudyard Kipling

"If you can keep your head when all about you
Are losing theirs and blaming it on you;
If you can trust yourself when all men doubt you,
But make allowance for their doubting too;
If you can wait and not be tired by waiting,
Or, being lied about, don't deal in lies,
Or, being hated, don't give way to hating,
And yet don't look too good, nor talk too wise;

If you can dream - and not make dreams your master;
If you can think - and not make thoughts your aim;
If you can meet with triumph and disaster
And treat those two imposters just the same;
If you can bear to hear the truth you've spoken
Twisted by knaves to make a trap for fools,
Or watch the things you gave your life to broken,
And stoop and build 'em up with wornout tools;

If you can make one heap of all your winnings
And risk it on one turn of pitch-and-toss,
And lose, and start again at your beginnings
And never breath a word about your loss;
If you can force your heart and nerve and sinew
To serve your turn long after they are gone,
And so hold on when there is nothing in you
Except the Will which says to them: "Hold on";

If you can talk with crowds and keep your virtue,
Or walk with kings - nor lose the common touch;
If neither foes nor loving friends can hurt you;
If all men count with you, but none too much;
If you can fill the unforgiving minute
With sixty seconds' worth of distance run -
Yours is the Earth and everything that's in it,
And - which is more - you'll be a Man my son! "

Pai Natal, este ano quero brinquedos.

- o que é que pediste ao Pai Natal?
- muitos brinquedos.

pois claro.

Casa



Casa são os sítios que fazemos nossos. É onde o silêncio é permitido, onde adormecer no sofá é algo já adquirido. É um perfume deixado no ar por alguém que passou a correr, é o querer ficar eternamente. É onde estão as pessoas de quem gostamos, é os segredos contados num murmurio. É onde há sempre um lugar para nós à mesa posto à pressa ou uma manta a mais nos dias de chuva. E casa é onde sabemos que nada de mal nos pode acontecer, nunca.

Há pessoas que são a minha casa.

domingo, 12 de dezembro de 2010

Amazon Kindle

Estava aqui sossegada a fazer um trabalho e a ver televisão quando este anúncio passou (ou então um da mesma linha).

Adorei.


O Pai Natal

Sou tão má a mentir que parece que já me estou a imaginar a contar aos meus filhos que o Pai Natal não existe.

O blogue foi a um fashion adviser

Durante um ano inteiro, quis o carro azul com bolinhas amarelas que estava sempre estacionado à minha porta.
E depois comprei 3 tops às bolinhas iguais mas de cores diferentes.
Jurei que ia forrar a parede do meu quarto de bolinhas.
E usei orgulhosamente biquinis às bolinhas.

O blogue está na fase Natal.
E com o Natal, a fase bolinhas voltou - um bocadinho.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Coisas espantosas

Ainda fico espantada com a velocidade a que os britânicos conseguem falar.

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Natal dos tempos modernos

Adorei.



se não quiserem ver, basta irem aqui.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O que a neve traz com ela.

Pela primeira vez desde há 4 meses, parece que estou outra vez em Portugal.
Neva três dias e é uma desgraça. Os autocarros atrasam-se e estão a abarrotar, o metro não funciona em algumas estações, o aeroporto é encerrado, os comboios param e as escolas fecham.
Houve mesmo quem tivesse que passar a noite no comboio com temperaturas negativas.

E eu que achei que estava em Londres.
Credo.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Lovely

Já é antigo mas não deixa de ser amoroso.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Se pudesse vivia lá.


Adoro passar uma tarde a ler um livro. Derreto-me com as palavras. Muitas vezes compro pela capa. E pelas folhas. E pelo cheiro. O que eu adoro, mesmo, mesmo, é o cheiro dos livros.

E por isso mesmo, quando lá estive, a livraria Lello foi do que mais gostei no Porto.
Não me espantou, nada nada, o terceiro lugar que a Lonely Planet lhe deu.
Se vivesse no Porto arranjava uma maneira, vos garanto, nem que me escondesse nalgum armário, de viver naquela livraria.

Se


Se outra me pessoa me soubesse ouvir, me soubesse ler nas entrelinhas. Se outra pessoa não tivesse medo de saltar comigo, arriscasse a vida inteira atrás daquilo em que acredito. Se outro soubesse escrever comigo uma história difícil de contar e acreditasse todo o caminho que o final feliz ia chegar. Se outra qualquer mão apertasse a minha quando todo o meu corpo se desmoronasse e se outro qualquer riso sorrisse só para me fazer estremecer. Se outro soubesse os meus segredos, se outro qualquer me guiasse tão certo ou abanasse tão medroso, com medo que todos os meus sentimentos pudessem cair.
Se outra pessoa escrevesse "ps:" em mim, se outro qualquer soubesse as minhas deixas ou gravasse parêntesis em cada frase que eu dissesse.

(então não fazia sentido).

Às vezes.


Às vezes faltam-me as palavras. Para quem não sabe que a amizade não é uma coisa que se põe em stand-by ou se ignora quando dá jeito. Para os que realmente acreditam que ser amigo é não dizer o que se pensa mas dizer o que o outro quer ouvir. Para aqueles que só telefonam quando as notícias são más.

Às vezes faltam-me as palavras. E quando se trata de pessoas assim, as minhas palavras não voltam.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

o dia em que um sorriso parou São Paulo

Há uma coisa muito engraçada no sorriso: é contagiante.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Love

"and then I go and spoil it all by saying something like I love you"

Morreu o senhor que queria fazer sorrir toda a gente.


Morreu o senhor do adeus.
Muitos eram os rumores. Que era maluco. Que a familia toda o tinha abandonado. Que ia para ali dizer adeus porque estava xoné porque a filha o odiava. Que era podre de rico e não gostava.
Que não falava, só acenava (ok, isto não era um rumor, fui eu que inventei agora).

Vai fazer falta a muita gente, a caminho do cinema, a caminho da noite, a caminho dos bolos, a caminho dos jogos de futebol.

O senhor do adeus vai fazer falta a Lisboa.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Amigos temporários

- Bom dia, está a falar com amigo para a vida, em que posso ser útil?
- Bom dia, gostaria de encomendar um amigo para a vida para amanhã à tarde.
- Infelizmente, amigos para a vida já não temos, está esgotado de momento. Contamos receber novo stock na próxima semana, se quiser voltar a tentar.
- Então mas o senhor não é um amigo para a vida?
- Sim, mas eu não estou disponivel para encomendas, a minha função é exemplificar o que um amigo para a vida faz, a quem vem à loja escolher.
- Bom, eu precisava mesmo para amanhã à tarde porque tenho um lanche cá em casa.
- Se quiser, temos amigos temporários disponíveis.
- Qual é a diferença?
- Então, um amigo para a vida ia ao seu lanche, contava umas quantas aventuras de criança que os dois supostamente tiveram, uma ou duas histórias engraçadas de como o senhor conseguiu ficar com a miúda mais gira, bebia cerveja, via o futebol ou um documentário (conforme o tipo de lanche) e concordava com tudo o que dissesse. No fundo, eram amigalhaços.
No caso do amigo temporário, ele iria ao seu lanche, comia tudo e mais alguma coisa, contava uma ou duas histórias erradas sobre si, via se conseguia conhecer alguém para sair ou para lhe arranjar uma cunha num grande emprego e, no limite, podia até sair mais cedo com alguma miúda. No fundo, era o amigo que estava lá no inicio mas que ao fim de 5 minutos já ninguém sabe onde está.
- Humm... Não sei bem o que faça, eu precisava mesmo era de um amigo para a vida, estou muito nervoso som este lanche, talvez alguém que ajudasse a descontrair as visitas, que quebrasse o gelo.
- Tenho a certeza que o amigo temporário o vai deixar satisfeito.
- O amigo temporário tem disponibilidade para amanha às 5?
- Certamente, mas só por 2 horas. Quer algum extra ou envio o básico?
- Quais são os extras?
- Bom aspecto: 1 euro; engraçado: 1 euro; prestável: 3 euros; cultura geral: 4 euros..
- Não, o pacote básico está bom, obrigada.
- Certo, a encomenda chegará amanha às 4.45, pacote básico, sem extras, com a duração de 2 horas. Obrigado pelo seu contacto.

Uma coisa que eu nunca hei-de perceber


é como é que as inglesas, com um frio de rachar, andam tranquilamente de mini saia e meias pelos joelhos e os ingleses de t-shirt e calções.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Lisboa

Guarda os passos de quem te descobriu, a ti inteira, a ti menina, a ti moça. Não deixes os segredos fugirem das tuas paredes. Guarda as palavras que entram nos teus muros e grava os risos alegres de quem passa e os segredos contados às escondidas entre uma e outra cerveja. Lembra-te dos sapatos na mão, de quem ousou desafiar o teu chão,da derrota no sorriso. Suspende as tardes na esplanada, as mil e uma subidas de encostas com malas às costas e máquina na mão. Escreve as queixas das vizinhas, velhinhas, com o passado nos ombros e faz deslizar as rodas dos eléctricos.Não deixes fugir os momentos de descoberta e as noites de saborosas refeições. Deixa os santos na gaveta, fecha-os a sete chaves. E os manjericos, guarda-os no armário, até Junho voltar. Espreita os bancos do jardim nas tardes de sol e os bares nas noites de chuva. Congela todos os gestos, todos os suspiros, todas as palavras ditas a olhar o rio. Deixa o chão cheirar a terra molhada e o ar a castanhas assadas. Deixa o burburinho pairar por aí, as pegadas de noites bem passadas, conta a história bem guardada de cada pedra da calçada.

E junta tudo num canto, guarda tudo numa esquina, ou numa rua qualquer sem nome, perdida no meio de ti.
Querida Lisboa, junta tudo num canto ou numa rua qualquer sem nome, para quando eu aí passar guardar tudo para mim.

Have a great day.


Entro numa loja e oiço "How are you today, my dear?", entro num café e dizem-me "How can I help you, my dear?", vou comprar o jornal e é só sorrisos e "Have a wonderful day, my darling".

É no metro senhores a levantarem-se para dar lugar às senhoras, é na rua pessoas a ajudar quem está meio perdido com um mapa quase ao contrário, é nas escadas da estação senhores a levarem as malas de viagem das senhoras.

"Gentlemans" aqui há aos molhos. E entre tantas boas acções, my dear para aqui, my darling para ali e have a great day, não há mau humor que resista.

Mudança de visual.

O blog foi a uma consultora de imagem.
E veio satisfeito.

Maybe


Por favor.
Por favor.
Por favor.
(e se eu desejar com muita força?)

Talvez amanhã.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Miracle


Nunca precisei tanto de milagres como agora.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

love game


A pessoa que vai passar o resto da minha vida comigo tem de gostar de.
Este foi o "jogo" que descobri hoje, quando à conversa com um amigo.
Não é para fazer com qualquer pessoa, não se adequa a aventuras, namoradinhas ou "aquela inglesa que encontrei outro dia e levei a passear".
é um jogo sério, como aquele outro, o da agulha, aquele para ver o número de filhos(mas esse é ainda mais de confiança).

A pessoa que vai passar o resto da vida comigo tem de gostar de:
rebuçados de neve
portas azuis claras
números pares

Vale tudo.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

estes livros



são os mais amorosos de sempre. Dou por mim a querer comprá-los para toda a gente, adultos ou crianças.
E são especiais para mim, porque foram a minha primeira "paixão" de Londres.

As ilustrações são fantásticas, as histórias das mais ternurentas e são tão pequenos que apetece comprar todos.
Está claro, para comprar, só em Inglês.
(todas as minhas crianças portuguesas me vão passar a odiar)

não


Nota mental:
Não me acomodar.
Não me dar por vencida.
Não me contentar.

Nunca.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Lamborghini

Muito antigo - é de 2008 - mas muito bom.

by Philipp und Keuntje, Hamburg, Germany

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Vão-me desculpar mas


não há nada mais charmoso que
o "british accent"

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Senhores Professores, um bocadinho de noção.


Senhores professores das escolas (não universidades) do mundo inteiro: vamos aqui esclarecer umas coisinhas.

Os senhores professores foram feitos para trabalhar das 7 da manha as 9 da noite. Sim, sim, e aliás, deixem-me que vos diga que para mim o ideal seria não dormirem e ficar a fazer babysitting aos filhos dos senhores encarregados de educação. Porque os senhores, é assim, acordam cedinho, tudo bem, mas depois às 5 da tarde já estão em casa de perna para o ar a ler umas revistas e a beber uns cafés enquanto ouvem musica clássica. Sim, sim, que eu não acredito que haja aulas para preparar, qual quê? então os senhores não têm a matéria na ponta da língua nem sabem de trás para a frente a estrutura de cada aula desde hoje até 2016? Então mas que raio de curso tiraram?

E também não me venham com essas balelas de corrigir provas, porque toda a gente sabe, oh meu deus, se sabe, que qualquer pessoas pega numa caneta vermelha e põe para lá uns rabiscos e uns números. Toda a gente sabe que não é preciso essa coisa de critérios de avaliação para nada, por mim era olhar para o aluno e, se fosse loiro, era um 14, se fosse moreno com caracóis, um 16, se fosse um penteado muita maluco, era um 20. (ah não, os professores não dão 20, é verdade)

E escusam de se vir queixar que não têm férias e blá blá blá porque todos nós temos a noção de que os meninos acabam as aulas a meio ou fim de junho e que por isso não há ninguém que tenha mais férias que os senhores em todas as profissões do universo. Quais reuniões de avaliação, reuniões com os pais (os poucos que se interessam) ou vigia de provas? Então os senhores tiraram um curso e não sabem decidir por telefone as notas dos alunos ou escrever cartinhas aos pais, como se os meninos fossem umas crianças, ou até vigiar provas sem estarem presentes? Por amor de deus, como é que sequer tiraram o curso? É inadmissivel. E depois, vamos lá ver, os senhores foram feitos para vir mais cedo que todos os meninos de férias e organizar as turmas, preparar as aulas e tudo o mais, é que se tiraram este curso, agora não é para brincar.

E agora este assunto da nova tecnologia, não me venham com coisas, tiraram um curso e não sabem escrever emails? Então e os quadros electrónicos? Também vão dizer que não sabem, não? É que realmente! E depois também não parecem concordar com essa opinião geral e que é, meus senhores, senso comum, de que depois de horas e horas de aulas o dia inteiro, o normal é irem enfiar-se numa sala de aula, com um computador para cada X professores, das 6 às 9 da noite, ou das 5 as 9, a aprender a dar aulas num quadro electrónico? E atrevem-se a discordar da ideia tão normal e sensata do ministério de que uma semana chega para memorizarem de trás para a frente toda a mecânica do novo aparelho? Quer dizer, tiram um curso, e depois nem sequer sabem mexer num quadro electrónico acabadinho de ser introduzido ao mercado? E mais, senhores professores, como ousam pensar que tiram um curso destes, sim, que isto é um curso muito especial, porque envolve não só ensinar, como tomar conta, educar e talvez dar a papa a muitos dos futuros executivos do país(quem se interessa por executivos?pfff). Como ousam pensar que, tirando um curso destes, ainda podem ter uma família, uma casa própria, netos, e até filhos que têm aniversários uma vez por ano, como os outros todos? Então os senhores não dormem na escola? Por amor de deus.

Vamos lá esclarecer isto:
se acham que não estão preparados para estar disponíveis 24horas por dia, para dar aulas horas e horas seguidas, para, caso seja preciso, levar um ou outro menino a casa, para dar aulas de apoio, "desapoio", aconselhamento, o que for, ao sábado e domingo - Senhores futuros professores - não se metam nisto.

Vamos lá a ter calma.
É que depois ainda se habilitam a que os acusem de estar a educar o futuro do país.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

heart




Cause you don't
always
have to hold your head higher
than your heart

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Procura-se poderes mágicos


- para todos os horários
- com ou sem atenção aos detalhes
- com muita motivação
- com ou sem experiência
- disponibilidade imediata

Caso esteja interessado, contactar telepaticamente.

Algumas pessoas.


A grande coisa com as pessoas é dividi-las em categorias. Aquelas com quem bebemos umas cervejas. Aquelas a quem nunca podemos contar segredos. As que nunca vão chegar a horas a lado nenhum. As que nunca levaríamos a casa. As que se dermos um abraço, acham logo que estamos perdidamente apaixonadas. As que nunca mandam em nada e por isso conduzem e buzinam e gritam. As frustradas. As que vão ser sempre felizes, seja o que for que aconteça. As que nunca se zangam. Aquelas que dão sempre razão a toda a gente.

Há pessoas, algumas, há algumas pessoas, que simplesmente sabemos que vão ficar sempre por aqui. Vale a pena saber que as temos, a essas pessoas.

Continuo à espera


que o Hugh Grant se cruze comigo numa qualquer rua desta minha nova cidade.
Mas nada.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

I love it (Full stop)





http://www.youtube.com/watch?v=RWPFzlsGI3c

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A minha rua.


A minha nova rua na minha nova cidade tem uma carrinha de gelados parada na esquina, com musica e desenhos. E uma casa com anões, gnomos e fadas no jardim. Pode estar a chover, um frio de rachar, podem estar a cair pedras de gelo, granizo, tudo, tudinho, que a rua vai continuar a parecer, a minha rua vai continuar a parecer um conto de fadas.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Este vestido é a cara da Florence.

Graças a uma amiga que me levou a um concerto sem eu conhecer uma única música, anda na minha playlist Florence and the Machine.
Fosse eu estilista ou tivesse algum jeito para o desenho e não hesitava um segundo a concorrer (e juro que não dizia a ninguém) mas como não faz parte dos meus (muitos) talentos, sugiro que peguem já nas folhas de rascunho e vão "rabiscando" alguma coisinha.


"Florence Welch, vocalista dos Florence + the Machine, a revista norte-americana Luckymag.com e a Talenthouse.com convidam todos os estilistas e designers de moda a criar o fato de cena para o concerto de Florence no Terminal 5, em Nova Iorque, dia 2 de Novembro.
A cantora é bem conhecida pelo seu ecléctico sentido de estilo, usando tanto fatos de cena feitos com roupa comprada em segunda mão como criações específicas para dar corpo à sua personagem.
Qualquer pessoa pode participar neste concurso e o primeiro passo é juntar-se à Talenthouse e seguir as instruções detalhadas.
As propostas serão julgadas por Florence, a sua estilista Aldene Johnson e Andrea Linett, Directora Criativa da Lucky Magazine. O desenho vencedor será transformado no fato de cena de Florence por Aldene Johnson.
Para além disso, o vencedor irá receber 500 dólares, terá transporte pago para Nova Iorque e uma estadia de duas noites no hotel Soho House NY, onde ficará alojado para poder assistir ao concerto. O vencedor irá conhecer pessoalmente Florence e a banda nos bastidores do concerto e receber uma cópia autografada do seu álbum de estreia, «Lungs».
A LuckyMag.com fará um artigo sobre o designer vencedor e incluirá imagens de Florence usando o fato. O vencedor aparecerá também no site e na página do Facebook de Florence.
O vencedor da Escolha do Público (aquele contemplado com mais votos) vai receber uma edição especial de uma caixa de jóias desenhada por Florence e Faye Sawyer.
Esta caixa de jóias irá conter o álbum «Lungs», um envelope com artwork desenhado à mão por Florence e uma carta pessoal igualmente escrita à mão. Os cinco primeiros classificados nesta categoria serão todos referidos em Luckymag.com."

Cinderelas, saiam de casa


e façam favor de ir a correr procurar o sapatinho e comprar uns com 50% de desconto. Ainda por cima não é um sapatinho qualquer, é da Zillian, pois claro.

"Entre os dias 28 de Setembro e 9 de Outubro o par de sapatos perfeito de centenas de mulheres vai estar escondido em locais públicos das cidades de Lisboa e Braga.
Numa campanha original a cadeia de sapatos Zilian vai ocultar em restaurantes, bares, spas, ginásios e cabeleireiros das duas cidades centenas de sapatos da colecção Outono-Inverno 2010.
As mais rápidas a encontrar o sapato escondido, devem dirigir-se às lojas Zilian e levantar o seu par preferido com 50% de desconto. Se o sapato encontrado não for o «par prefeito», as cinderelas poderão sempre trocá-lo por outro tamanho ou modelo.
As moradas dos sítios onde o par perfeito poderá ser encontrado serão disponibilizados diariamente no site da marca e na sua página do Facebook."

Vá, toca a andar, que eu aqui de onde estou não consigo ir a lado nenhum.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Tudo o que eu queria saber sobre os iões e não tinha coragem de perguntar.

"Uma bugiganga para o século XXI

De acordo com os últimos dados, mais de 20 mil portugueses já adquiriram a milagrosa pulseira que todos os estudos científicos dizem não funcionar. Não admira. De que serve um estudo científico se a pulseira é ainda mais científica? Um dos responsáveis pela distribuição da pulseira em Portugal revelou ao Correio da Manhã que o segredo está nos "dois hologramas quânticos embebidos numa frequência com iões negativos" que vão "estabilizar a nossa frequência". Quando o jornal confrontou um professor de Física da Universidade de Coimbra com esta explicação, aconteceu o habitual: obviamente invejoso por nunca ter embebido hologramas em iões, o professor disse que aquele paleio pseudocientífico não fazia qualquer sentido. Infelizmente, na comunidade científica é sempre assim: bem podem as pulseiras reluzir nas montras, com os hologramas ainda a pingar iões, que haverá sempre alguém a negar que as nossas frequências possam ser estabilizadas pelas frequências quânticas. A desfaçatez!

Dito isto, devo, no entanto, confessar que sou moderadamente cético quanto às capacidades da pulseira. Não digo que a pulseira do equilíbrio não provoque bem-estar. O que digo é que provoca mais em quem a comercializa do que em quem a usa. Creio que, se a pulseira do equilíbrio produzisse, de facto, equilíbrio, assim que o seu proprietário a colocasse no pulso pensaria: "Espera aí, acabei de dar mais de 30 euros por uma argola de borracha. Percebo agora que não foi uma decisão particularmente equilibrada. Vou à loja tentar recuperar o dinheiro." No entanto, é falso que a pulseira não produza qualquer efeito. Quem a usa passa a empenhar-se numa espécie de proselitismo gratuito, informando os amigos dos benefícios de andar com coisas quânticas ao dependuro. E é possível que a energia despendida nesta tarefa produza efeitos saudáveis, uma vez que explicar um processo fantasioso através de palavras que não se compreendem constitui um esforço notável.
Pela minha parte, começo a sentir alguns efeitos da pulseira mesmo não a tendo adquirido. A admiração que tenho pelo fenómeno levou-me a agir de um modo que, segundo creio, não tardará em produzir melhoras na minha qualidade de vida. O meu plano é encomendar 50 mil anilhas para pombos a dez cêntimos cada. Depois, mergulhá-las num caldo de iões tão quânticos quanto me for possível, e vendê-las a 30 euros a unidade sob a designação de "O Anel da Temperança". E, anualmente, renovar o stock de charlatanice quântica com novidades. O Colar da Constância, Os Brincos da Estabilidade e A Gargantilha da Harmonia garantir-me-ão, acredito, negócio para a próxima década. Estejam atentos."

By Ricardo Araújo Pereira in Visão

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Nunca é tarde


para aprender a dançar ballet.

domingo, 19 de setembro de 2010

Rir e chorar por mais.


Às vezes, raramente, tenho ataques de riso daqueles que não me deixam respirar e que fazem as lágrimas correr pela cara. Lembro-me de pensar, enquanto tento falar - gosto tanto de chorar a rir.

Federer vs Nadal

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Love

Todos os dias devia haver uma boa história de amor - como esta.


Há qualquer coisa aqui que me faz desejar acreditar em contos de fadas outra vez.







Por Jeannete Woitzik.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Surprise


Ser surpreendida, mesmo que não seja por ninguém em especial, nem que seja por uma cidade cheia de qualquer coisa, faz o dia ter outro sabor.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Leaving


As malas cheias de saudades e recordações. A mochila cheia de espaço para o que vier.
Estou de armas e bagagens, de partida.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

veneno


Às vezes tenho a sensação que se mordesse a língua morria envenenada.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Um dia vais dar por ti e já és crescido


Querido bébé,

Vais ver que vai ser dificil crescer, não te iludas. Vais ter muitas discussões, algumas (com sorte poucas) quedas, um ou dois dentes partidos. Vais delirar por um desporto qualquer, ter posters de um mero desportista na parede e vai haver uma fase (oh se vai) em que vais acreditar que és tão crescido que já nem precisas mais de ir à escola. Vais ter um amigo do peito e , por favor, um amigo imaginário que vai ser segredo mas para o qual vais pôr sempre um lugar à mesa. Vai chegar uma altura em que vais jurar a pés juntos que não queres namoradas, nunca, nunca jamais, que elas são uma seca e que estão sempre a choramingar (por favor grava isso para te rires quando estiveres perdido de amores por uma miúda qualquer que te vai dar a volta à cabeça).Vais perceber que bater com as portas é um bom truque para irritar os adultos e para soltar a raiva. Depois vais apanhar a tua primeira bebedeira, um dia, e não vai ser nada fácil na manhã seguinte mas te garanto que vai ser muito divertido na altura. Hás-de ir para a faculdade, aprender umas coisas e fazer umas quantas asneiras. Ou então pode ser que sejas do contra e vires jogador de futebol. Vais-te "armar" em bom para as miúdas e em rebelde para os rapazes.

E depois vai haver uma altura, quando já fores crescido e andares de fato (ou de outra farda qualquer) em que vais perceber que o que era bom era quando eras miúdo e não tinhas nada para fazer a não ser escrever umas composições e ver uns desenhos animados.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Make a wish.



Acredito que todas as pessoas dão lugares a grávidas no metro. Acredito que é possível ver futebol sem acabar à pancada. Acredito que toda a gente é capaz do melhor e do pior. E que não haverá espaço para tantos egos gigantes no futuro. E mais, gosto de acreditar que as nossas crianças ainda sabem o que é o respeito pelos mais velhos, o tirar o boné na sala de aula e o segurar a porta para a senhora passar. Acredito que se beber muito alcool emagreço. Acredito que ainda há um homem no mundo inteiro que se levanta da cadeira quando uma senhora se levanta da mesa à refeição (é tão século passado mas tão encantadoramente romântico). Acredito que se vir um gato preto dá azar. E que se não bater na madeira tudo de mal vai acontecer. Acredito que acordar cedo faz mal e sou adepta da sesta a meio da tarde. Acredito em contos de fadas, em princesas e em castelos.

Acredito que todas as coisas boas acontecem, se desejarmos com muita força.

Não gosto de falar de futebol


mas o que é que o Roberto ainda está a fazer na baliza do benfica? E digam o que disserem, gosto tanto do moreira. (pelo que já me informei sou das poucas mas gosto tanto que valho por muitas)

Before I die I want to



comprar uma máquina de escrever.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Escrever. Deixar o lápis quieto.





Ir. Não ir. Gostar e contar. Esconder e guardar numa caixa no fundo da gaveta para nunca mais encontrar. Fazer segredinhos e dar risadas parvas. Contar tudo sem rodeios. Ir até ao fim do mundo, com malas ou sem malas. Ficar cá para nunca ter que fazer malas e perder tempo a pensar. Ter saudades. Desembaraçar-me dos meu sentimentos, assim, sem mais nem menos. Andar sem parar. Cansar-me das pernas. Dizer nunca mais. Não dizer nada de nada.

A vida é cheia de contrários.

estou viciada nesta série.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Before I die I want to

ter férias todos os dias do ano.
percorrer o mundo.
aprender sapateado.
aprender a tocar guitarra.


(it continues...)

O destino.



Rita, o que é o destino?

Adoro miúdas de 5 anos com perguntas difíceis.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Papel de...

Estou assustada com o que o dinheiro faz às pessoas.
(desculpem mas não consegui passar o vídeo para aqui, é só carregar no link)

domingo, 1 de agosto de 2010

(suspiro cansado. pausa longa. grande plano dos olhos.)

Não deixem nada por dizer. (silêncio)

Eat Pray & Love



é um livro que todas as mulheres deviam ler.

Sou da opinião de que nenhum filme faz justiça ao que já foi escrito mas, ao que parece, vai haver também um filme (que garanto que não vou perder). Mas atenção, não dispensa a leitura do mesmo.

Como perder um namorado em 4 passos

- não o deixar ver futebol
- não o deixar jogar futebol
- adormecer sempre que o tema é futebol
- ver futebol e fazer comentários do género "ai o guarda redes tem um cabelo óptimo" ou "já viste os músculos daquele?"


Boring.

quinta-feira, 29 de julho de 2010

O sorriso.


Quero envelhecer e guardar o meu sentido de humor. Quero envelhecer com alguém que não me deixe vender o meu sorriso. Quero ter a certeza que fiz tudo, quero ter alguém ao meu lado que não me deixe esquecer que, mesmo com medo, arrisquei. E quero dizer isto aos meus netos: sem medo nunca seria coragem.

Quero poder dizer frases com o meu sorriso. Ou poemas. Ou textos inteiros que falem de amor. Quero ter o poder de sorrir só a quem gosto e quero ter alguém ao meu lado que me dê pontapés às escondidas quando assim não for. Quero chorar a rir comigo própria, seja por que situação for, quero envelhecer com alguém ao meu lado que me pregue rasteiras, que me pregue partidas, me faça ciúmes e goze comigo.

O sorriso é o que nos resta quando as palavras não chegam.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

sorte.





A sorte, essa malvada, dita grande parte da nossa vida.
Tropeçar nas pessoas certas só acontece uma vez de 200 em 200 anos mas aí é que está a rasteira: podes ter a maior sorte do mundo, que se não souberes aproveitá-la, mais valia não a teres.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Só para mulheres



O que é que foi esta merda? Tudo péssimo, a começar pela apresentadora.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

se este blog falasse

diria que não se vai mexer até para a semana.
férias. férias. e mais férias.



terça-feira, 20 de julho de 2010

uns borrachos.


Qual fim de semana romântico, qual serenatas à janela, qual beijos de tirar a respiração. Nem venham aneis de noivado, poemas ditos à noite, comédias românticas que me façam chorar, surpresas e chocolates e presentes e cantorias à toa. Qual olhos vendados, qual jantar no topo do mundo.

O que me derrete mesmo, mesmo, mesmo a sério, são as crianças. São amorosamente sinceras e despreocupadas.
E têm brincadeiras de cair para o lado de tão ternurentas e engraçadas. Como as que tive na sexta com os meus dois primos, os maiores borrachos do mundo.

Telefonemas.


Tenho um grande amigo com quem só falo, assim, ano sim ano não ( que é o mesmo que dizer quase nunca).

Temos duas grandes particularidades: mesmo assim continuamos amigos ; e não há uma vez (uma única) em que fale com ele e não chore a rir.

Adoro.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

há dias assim.


Ontem foi assim. Sorrisos o dia todo.

Palavras leva-as o vento.


Ontem ouvi a seguinte conversa na praia:


Rapariga 1: E eu notei que as mamas dela estavam maiores e perguntei-lhe "Puseste silicone?"
Rapariga 2: A sério? Perguntaste? E ela?
Rapariga 1: E ela "Ah pus não sabias? Pensei que já soubesses!"
Rapariga 1: E depois é assim, fiquei calada, mas ela comprou uma casa há pouco tempo, ainda tinha as paredes para pintar e os móveis para comprar e, claro, primeiro foi pôr o silicone e passado um ano é que mandou pintar as paredes.


Por isso é assim, se puseste silicone antes de pintares a casa e compraste uma casa recentemente e alguma amiga te perguntou por estas alturas se puseste silicone, atenção, estão a falar de ti nas tuas costas.

Papas na língua


Gosto de pessoas sem papas na língua. Daquelas pão, pão, queijo, queijo. Adoro aquelas pessoas que são difíceis de conquistar, as tais, raras, que passado dois encontros ainda não estão a contar a vida toda e a mostrar fotografias de pequena. Acho a coisa mais fantástica do mundo quando a verdade é dita assim, de chapão, sem nenhuma rede ou eufemismo a acompanhar. Quando oiço "Estás mesmo gorda", "Precisas de fazer dieta", "Tu mereceste que ele acabasse contigo" ou qualquer coisa assim, pronto, já têm a minha atenção e simpatia. Adoro um bom sermão, uma boa verdade dita na cara ou uma boa lição de moral, apetece-me logo ser amiga da pessoa que diz tais coisas, apetece-me ir lá e dizer "eu também sou assim, e já agora, esse vestido fica-te mesmo mal, faz-te o rabo gordo e parece que não tens peito".

As pessoas que têm a sorte de ter uma ou duas amigas assim, têm uma grande vantagem: sabem que quando elas dizem "gosto de ti" é sentido.
E as pessoas que são assim têm uma vantagem ainda maior: dizem tudo o que pensam mas quem não as conhece raramente as leva a sério.